Kazim Richards virou motivo de imbróglio judicial entre Corinthians e Coritiba Foto: Site oficial
Kazim Richards virou motivo de imbróglio judicial entre Corinthians e Coritiba Foto: Site oficial

Depois de tentar um acordo – sem sucesso – para receber os valores referentes à venda do atacante Kazim ao Corinthians, o Coritiba acionou a Justiça na última segunda-feira pedindo a penhora das contas do clube. Os valores, em torno de R$ 1,3 milhão, abrangem as três primeiras parcelas (R$ 250 mil cada uma, acrescidas de juros) além das duas próximas.

“Nós tentamos um acordo, mas não conseguimos. Com isso, eu liberei o nosso departamento jurídico para entrar na Justiça e iniciar o processo de cobrança”, afirmou o presidente do Coritiba, Rogério Portugal Bacellar, ao Estado.

No processo, o Coritiba pede ao juiz Nilson Wilfred Ivanhoe Pinheiro, responsável pela análise, que “seja procedida à penhora de valores existentes nas contas correntes, contas poupança e/ou aplicações financeiras de titularidade da Executada”.

O clube paranaense anexou ao processo notificações extrajudiciais enviadas ao Corinthians sobre as parcelas em atraso. O departamento jurídico do clube paulista afirma que ainda não foi notificado oficialmente. Desde o ano passado, o Corinthians atrasou duas vezes o pagamento dos direitos de imagem aos jogadores, e os dirigentes admitem que o clube vive uma situação financeira complicada.

Kazim foi contratado no final de 2016. Apesar de não ter se firmado no time titular, perdendo espaço para Jô e Romero, o inglês naturalizado turco conquistou a simpatia da torcida com várias entrevistas nas quais se diz o “gringo da favela”. Em 12 jogos pelo Corinthians, Kazim marcou dois gols.