O Ministério da Agricultura afirmou ter um plano para monitorar e lidar com a  nuvem de gafanhotos que se aproxima do Brasil. Tereza Cristina, cefe da pasta, emitiu o comunicado pelo Twitter.

A preocupação em relação à nuvem começou depois do governo da Argentina informar que os insetos levantaram voo na província de Corrientes e que podem cruzar a fronteira com o Rio Grande do Sul.

O governo de Córdoba informou que em um quilômetro quadro pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de destruir territórios equivalentes ao que duas vacas consomem em um dia.

“Montamos já um plano de monitoramento, para acompanhar o deslocamento desses gafanhotos. A gente espera que ele não chegue ao Brasil, mas todas as ações que podem ser tomadas, já tem um grupo de acompanhamento e as ações que podem ser implementadas caso isso aconteça”, disse tereza Cristina no Twitter.

Autoridades da Argentina dizem que a nuvem surgiu no Paraguai e já destruiu completamente diversas lavrouras de milho.