A briga entre os atacantes Neymar e Cavani, que no último domingo discutiram várias vezes durante a vitória por 2 a 0 do PSG sobre o Lyon, pelo Francês, para ver quem bateria faltas e pênaltis, segue dominando as manchetes da imprensa europeia. Nessa terça-feira (19), o jornal espanhol “Sport”, publicou que a situação entre os dois está “insustentável”.

De acordo com o veículo, o brasileiro quer dar mostras de seu poder nos bastidores e exigiu à diretoria do clube francês que negocie o uruguaio com outro time assim que possível.

“Neymar já demonstrou a Nasser Al-Khelaifi (dono do PSG) que sua convivência com Cavani é totalmente impossível, e pediu que o atacante uruguaio seja negociado. O cenário ideal seria durante o mercado de inverno, mas, como Cavani já jogou a Champions, ficam reduzidas assim as possibilidades de surgir um comprador de primeiro nível. Assim, a venda poderia ocorrer somente no final da temporada”, diz a reportagem.

Ainda segundo o jonal, Neymar tem “apoio total” da “colônia brasileira” que dominou o vestiário do PSG, além de ter captado rapidamente o apoio da outra estrela recém-chegada ao time, o atacante Kylian Mbappé, o que deixou Cavani “cada vez mais sozinho” no plantel do clube parisiense.

Já o jornal francês “Le Parisien” publicou que o dono do clube convocou uma reunião para essa terça-feira (19) com a presença dos envolvidos para tentar aparar as arestas entre os atletas.

Culpa da imprensa – Também nessa terça-feira (19), Al-Khelaifi, rompeu o silêncio e falou, ainda que de maneira breve, sobre a recente polêmica. Em rápida entrevista à rádio francesa RMC Sport, ele foi enfático e usou uma explicação fácil e usual. “Não há nada! Vocês da imprensa é que causam esses problemas”.

Ele só esqueceu de informar que Cavani tem previsto um bônus de R$ 4 milhões caso seja o artilheiro da atual edição do Campeonato Francês.

Ainda segundo a rádio, apesar da insatisfação de Neymar, o uruguaio continuará sendo o batedor de pênaltis oficial do time, pelo menos por enquanto.