16250205

O comando do PT faz ginástica para acomodar a ex-presidente Dilma Rousseff na estrutura partidária.

O presidente do partido, Rui Falcão, chegou a convidá-la para a presidência da Fundação Perseu Abramo, vinculada à sigla, mas a iniciativa sofreu tanta resistência que o PT estuda outra alternativa para Dilma: o cargo de presidente do Conselho Curador da fundação, de caráter figurativo.

Seu presidente recebe uma contribuição por participação em suas reuniões trimestrais. Já os integrantes da direção têm papel executivo e salário. Falcão surpreendeu o partido ao fazer o convite a Dilma durante reunião com Lula e o ex-ministro Jaques Wagner.

Ele perguntou a Dilma sua situação financeira. A ex-presidente respondeu ter uma pensão de R$ 5.000, além da hipótese de alugar o apartamento de sua mãe no Rio.

Para surpresa de Lula, Falcão fez o convite a Dilma, que não respondeu. A reação negativa foi imediata. Dirigentes afirmaram que a petista seria funcionária do partido e não poderia ter o mesmo temperamento do Planalto.

Como a escolha depende de aprovação do Diretório Nacional, integrantes questionaram Falcão nesta quinta (15), durante reunião em São Paulo. Embora a crítica tenha sido feita em conversas reservadas, petistas se queixaram abertamente de outra proposta feita por Falcão.

O alvo conta até com o aval de Lula, mas desagrada aos dirigentes: a convocação para maio de congresso com poderes de trocar a cúpula do PT. Falcão foi acusado de tomar medida intempestiva sem consultar a principal corrente do partido, a CNB, e teve de pedir desculpas. (Folha de S.Paulo – Cátia Seabra)