x

O arquivo de Cunha atingiria especialmente grandes empresas do país que teriam negociado com ele benefícios na Câmara dos Deputados e em setores do governo. E que teriam participado de encontros com a cúpula do PMDB, inclusive com Michel Temer. Um desses encontros até já veio a público, na Operação Lava Jato. Cunha organizou reunião entre a empreiteira Andrade Gutierrez e o então vice-presidente Temer. O tema: contribuição para campanha eleitoral do PMDB. Temer já disse que a ajuda financeira foi legal.

A prioridade de Cunha (PMDB-RJ) passa a ser agora livrar sua mulher, Claudia Cruz, da prisão.

Cunha estaria convencido de que o Ministério Público Federal dificilmente concordará em dar a ele os benefícios da delação premiada, como cumprir a pena fora da prisão. Mas poderia concordar em aliviar eventual condenação de Claudia Cruz caso ele decida abrir a boca e contar o que sabe aos procuradores.

Apesar de contrariado com o governo Temer, Cunha não pretende transformá-lo na bola da vez, segundo interlocutores. Pode bater no presidente, mas um de seus alvos principais passaria agora a ser também o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).  (De Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo)