x

Ferramenta inédita lançada pela Folha em conjunto com o Datafolha neste ano eleitoral mostra quais prefeituras entregam mais serviços básicos à população usando menor volume de recursos financeiros.

Numa escala de 0 a 1, só 24% das cidades ultrapassam 0,50 e, por isso, podem ser consideradas eficientes. Pesquisa nacional do Datafolha mostra que só 26% dos brasileiros aprovam a gestão de suas prefeituras.

No topo do ranking está Cachoeira da Prata (MG), com 3.727 habitantes e heranças deixadas pelo passado industrial forte. Na rabeira estão cidades do Norte, Centro-Oeste e o Rio Grande do Sul.

O levantamento revela que nos 5% menos eficientes, com índice de até 0,30, o funcionalismo cresceu 67% entre 2004 e 2014, em média. A população aumentou 12% no período.

Em crise, os municípios espelham também alguns dos principais desafios do país, como o crescimento do gasto público, a dependência de verbas federais, a perda da dinâmica da indústria e a ascensão do agronegócio.

x1

Rosário – A divulgação destes dados confirma o que todos já sabiam, o município de Rosário está no caminho certo, não precisando de aventureiro, que possa levar a caos e ao atraso. O REM-F reflete e confirma a competência, austeridade e a seriedade da atual gestão Irlahi Moraes.

Mais eficiente que municípios como: Caxias, Pinheiro, Chapadinha, Santa Inês e São Luis; Rosário se destaca no cenário nacional como exemplo de administração eficiente.

Este resultado além de destruir o discurso de opositores em época de eleição, reforça a fala coerente da prefeita Irlahi Moraes, “que se deve continuar o trabalho, Rosário não pode parar, não vamos correr o risco de retroceder”.

Educação: Os trabalhos realizados na área de educação do município mostra o REM-F de 0,578, acima da média do país que é de 0,509.

Saúde: O município mostra percentuais positivo e passa novamente a média estipulada no país para o quesito saúde que é de 0,500; Rosário chega ao índice de 0,537. No saneamento temos algumas dificuldades, mas o percentual fica próximo ao índice.

Receita: Na pasta receita o município de Rosário, administrado pela prefeita Irlahi Moraes, mostra REM-F de 0,063, enquanto, a média do país é de 0,166. Mas nada fora do comum, o percentual mostra que a gestão Irlahi Moraes, vem administrando muito bem o município com pouco recurso.

O Importante e confiável ferramenta criada pela Folha em conjunto com o Datafolha com o objetivo de calcular a eficiência das gestões municipais analisando os indicadores de saúde, educação e saneamento. O Ranking de Eficiência dos Municípios – Folha (REM-F) divulgado na última sexta-feira (26), apresenta dados de 5.281 municípios brasileiros, ou 95% do total de 5.569.