x2

São Luís (MA) é a capital nordestina com o maior número de candidatos a prefeito nas eleições deste ano. São nove postulantes ao Executivo da cidade, cujo atual ocupante, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), tenta a reeleição.  Os principais adversários do prefeito são a deputada federal Eliziane Gama (PPS) e o deputado estadual Wellington do Curso (PP), em uma disputa que ainda tem os vereadores Fábio Câmara (PMDB) e Rose Sales (PMB), o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), o servidor público Valdeny Barros (PSOL), a professora universitária Cláudia Durans (PSTU) e o médico Zeluis Lago (PPL).

As campanhas de Holanda Júnior e Eliziane Gama levaram a palanques opostos nas eleições municipais o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), eleito ainda no primeiro turno em 2014, e o vice-governador, Carlos Brandão (PSDB). Enquanto Dino e o PCdoB apoiam o prefeito e patrocinam seu candidato a vice, o professor e sindicalista Júlio Pinheiro, o PSDB maranhense, presidido por Brandão, indicou o vice de Eliziane, José Joaquim, vereador em São Luís.

O prefeito pedetista lidera as intenções de voto na capital do Maranhão. De acordo com pesquisa feita pelo Instituto Econométrica e divulgada no final de julho, Edivaldo Holanda Júnior aparece com 23,7% da preferência do eleitorado ludovicense. O mesmo levantamento, contudo, mostra 37% da população não votariam nele de jeito nenhum e 59% desaprovam seu governo, um contraste com os 55% de aprovação à administração de Dino.

Além de PDT e PCdoB, onze partidos fazem campanha pela reeleição do prefeito: os arquirrivais no Congresso PT e DEM, PTB, PROS, PR, PRB, PSC, PTC, PSL e PEN.

Deputada federal mais votada do Maranhão e terceira colocada nas eleições municipais de 2012, Eliziane Gama larga em segundo lugar nas intenções de voto. A candidata do PPS tem 20% da preferência, segundo o Econométrica, e rejeição de 15% pelo eleitorado de São Luís. Sua coligação conta com PSDB, do vice-governador Carlos Brandão e do ex-prefeito João Castelo, PSDC, Rede, Solidariedade, PTN, PRTB, PTdoB e PV, presidido no Maranhão pelo ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho.

Embora o filho do ex-presidente José Sarney apoie Eliziane, o PMDB, partido do qual Sarney é presidente de honra, concorre à prefeitura da capital maranhense com chapa pura.

Após superar resistência interna no partido, sobretudo da ex-governadora Roseana Sarney, para enfim consolidar sua candidatura, o vereador Fábio Câmara tenta ser o primeiro candidato apoiado pelo grupo político de Sarney a se eleger prefeito de São Luís desde a redemocratização, em 1985. O vice é o também peemedebista Coronel Flávio de Jesus.

Para quebrar a sequência de revezes municipais do grupo que raramente perde eleições ao governo estadual, Câmara conta, por enquanto, com apenas 3% das intenções de voto, segundo o Instituto Econométrica.

Um dos motivos pelos quais a candidatura do peemedebista não foi unanimidade internamente é o desempenho do deputado estadual Wellington do Curso (PP) nas pesquisas eleitorais. Ainda no primeiro mandato, ele tem 18% das intenções de voto e corre por fora na disputa entre Edivaldo Holanda Júnior e Eliziane Gama.

Roseana Sarney era uma das vozes que preferia uma aliança com o candidato pepista, apoiado por PSB, PSD e PHS, a um voo solo do PMDB. Wellington do Curso terá como vice o vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), filho do senador Roberto Rocha (PSB).

As outras chapas que concorrem à prefeitura de São Luís, todas puras, são compostas por Rose Sales e Sidinei Lima (PMB), Eduardo Braide e Dilmar Araújo (PMN), Valdeny Barros e Aline Maria dos Santos Pereira (PSOL), Cláudia Durans e Jean Magno (PSTU), e Zeluis Lago e Simone Klaid (PPL).

De acordo com o levantamento pelo Econométrica, os principais problemas da capital maranhense apontados pela população são a segurança, com 26% das respostas, a pavimentação das ruas, apontada por 23%, e a saúde, com 22%. (João Pedroso de Campos/Veja)