image (1)
Sophia ainda não completou dois anos, mas já tem um pai campeão olímpico.
Talvez daqui a alguns anos, quando ela olhar as fotos deste dia 16 de agosto, a garota compreenda o tamanho do esforço que o pai, Robson Conceição, fez para lhe presenteá-la com um único adereço – a medalha de ouro, a primeira da história do boxe brasileiro em Jogos Olímpicos.
“Não tenho nem palavras para expressar o que é ter minha família me acompanhando aqui no Rio de Janeiro. Minha filha está completando dois anos na sexta-feira e eu prometi que ia presenteá-la com a medalha e, graças a Deus, eu consegui”, afirmou o pugilista.
Tudo que ele queria era ser um bom pai e nada é capaz de superar o poder desta ambição. Nem mesmo o relacionamento distante de Robson com Carlos, seu próprio pai.
Nesta terça-feira, no Pavilhão 6 do Rio Centro, Robson inevitavelmente deve ter se lembrado do passado, mas tudo aquilo que o amargurava ficou para trás.
O francês Sofiane Oumiha sentiu o peso do punho pesado do brasileiro, uma descarga de fúria impossível de controlar. Em dois assaltos, o brasileiro mostrou porque chegou na grande decisão como grande favorito, liquidando o francês.
No último e decisivo round, o controle. A contagem, a decisão unânime e a glória. O Brasil tem seu primeiro campeão olímpico na história do boxe. De honra lavada, a certeza, um filho teu, Brasil, nunca foge à luta.
Parabéns, Sophia! Seu pai é um campeão! O campeão de toda uma nação! (Por Josias Pereira/Enviado especial)