image

A badalada seleção olímpica brasileira, com seu trio ofensivo composto de Neymar, Gabigol e Gabriel Jesus, continua sem empolgar. Desta vez, a decepção foi contra o semi-amador Iraque, que arrancou empate em 0 a 0 com o Brasil neste domingo, pela segunda rodada do Grupo A dos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Na última quinta-feira, na estreia contra a também fraquíssima África do Sul, outro empate sem gol, a atuação já havia sido digna de vaias que chegaram ao som do apito final.

Neste domingo, a torcida que compareceu em massa ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, não se mostrou tão paciente. Com 18 minutos do segundo tempo, já expressava todo seu repudio com o que via em campo: uma equipe individualista, desorganizada e incapaz de balançar as redes em 180 minutos de futebol nos Jogos Olímpicos.

Com o empate, o Brasil soma apenas dois pontos no Grupo A do torneio olímpico, empatada com o próprio Iraque, e corre sérios riscos de não se classificar às quartas de final. A líder da chave é a Dinamarca, que mais cedo venceu por 1 a 0 a África do Sul (1 ponto).

Na última rodada da fase de grupos, nesta quarta-feira, o Brasil não terá outra alternativa a não ser vencer os dinamarqueses na Arena Fonte Nova, em Salvador, se quiser continuar na Rio-2016 e brigar pelo inédito ouro.

A seleção corre o risco de eliminação, o que seria mais um na série de vexames recentes do futebol brasileiro, após o 7 a 1 na Copa do Mundo e a eliminação na primeira fase da Copa América do Centenário. (AFP)