Desde o princípio que a Mulher travou uma luta árdua e temerosa na conquista de um espaço na sociedade. A mulher na verdade era a dona de casa, para cuidar do marido e dos filhos, não tinham direito a nada o único ofício era realizar os serviços domésticos. Sem direitos, ainda eram submetidas a maus tratos dos maridos, uma violência transcendeu de geração em geração e até os dias de hoje, muitas mulheres ainda vivem o medo e o terror dentro do lar.

A Biblia Sagrada nos conta que Deus fez a mulher da costela de Adão: “Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão . Gênesis 2:21,22.

Infelizmente a interpretação por muitos homens não tem sido a mesma que Deus idealizou, quando  a mulher foi tirada da costela do homem, não foi para ser humilhada, desprezada, mal tratada, violentada; foi pra ser companheira, parceira, ajudadora, tratada com carinho, pois é uma pedaço do homem. A Lei Maria da Penha, ainda é uma criança de apenas 10 anos, mas seus benefícios, já amenizou o sofrimento e a dor de muitas mulheres, nesses 10 anos de vigência da Lei, os assassinatos de mulheres foi reduzido em  10%.

As conquistas foram muitas, o direto do voto, conquistado no dia 24 de fevereiro de 1932, foi um marco na história da mulher brasileira, durante o governo de Getúlio Vargas, fruto de uma grande luta iniciada antes da Proclamação da República, Celina Guimarães Viana foi a primeira mulher ater o direito de votar no Brasil. Daí foi o início de muitas outras conquistas, a mulher também pode participar da política ativamente, mesmo ainda sendo em pequena parcela a sua participação como candidata, a conquista de ser trabalhadora, exercer cargos importantes,  executar muitas outras tarefas e ofícios antes, impedidas pela sociedade.

A luta continua, contra a violência, contra o abuso, contra o desrespeito, contra o baixo salário e tantas outras lutas que ainda se fazem necessárias, vencer!

Maria da Penha Maia Fernandes, foi vítima da violência doméstica por 23 anos. Em 1983, o marido por duas vezes, tentou assassiná-la. Na primeira vez, com arma de fogo, deixando-a paraplégica, e na segunda, por eletrocussão e afogamento. Após essa tentativa de homicídio ela tomou coragem e o denunciou. O marido de Maria da Penha só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos em regime fechado, para revolta de Maria com o poder público. Hoje devido a tantas campanhas realizadas em defesa da mulher, a Lei Maria da Penha se tornou mais rápida e eficaz, mas isso não impede de cobrarmos mais, que a justiça seja feita de fato e de direito e que estas mulheres sejam asseguradas o direito de viverem dignamente sua liberdade.

Vale a pena ressaltar a força da mulher brasileira, que tem provado através de seus valores e de suas conquistas, conseguindo o apoio e espaço na sociedade. Que maravilha!… neste dia, comemorar os 10 anos de uma Lei que protege a mulher, punindo aqueles que violentam, com a vitória da equipe de futebol feminino do Brasil vencendo a Suécia em um jogo bonito e bem feito de 4×0, nas Olimpíadas Rio 2016. Dá-lhe Marta! Brasileira, Nordestina, orgulho para nós! Que venham as Martas, as Marias, as Franciscas, as Joanas e todas as mulheres brasileiras, precisamos conquistar mais vagas na política do nosso País. (Por Sande Moraes)