Pesquisa de opinião pública realizada pelo Instituto Escutec, publicada na edição deste fim de semana do jornal O Estado do Maranhão, mostra o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), na liderança das intenções de votos, com 3,4 pontos à frente da deputada federal Eliziane Gama (PPS) e 6,5 pontos à frente do deputado estadual Wellington do Curso (PP), seus principais adversários.

De acordo com a pesquisa, Edivaldo (foto) teria 25,2% contra 21,8% de Eliziane e 18,7% de Wellington. Pela margem de erro, que é de 3 pontos, o prefeito estaria tecnicamente empatado com a candidata do PPS, pois pode ter também 22,2% ou 28,2%, enquanto ela, pode estar com 18,8% ou 24,8%. Ainda considerando-se a margem de erro, Eliziane pode estar empatada tecnicamente também com Wellington, que teria entre 15,7% e 21,7%.

Comparada à última pesquisa do Escutec, divulgada em julho, o prefeito teria virado o jogo e aumentado sua votação em 3,5 pontos. No mês passado, os números davam 23,3% para Eliziane; 21,7% para Edivaldo; e 19,1%, ou seja, houve uma inversão nos dois primeiros lugares.

O instituto fez ainda três cenários de segundo turno e nos confrontos entre os três principais candidatos, Eliziane seria eleita prefeita, pois venceria tanto Edivaldo, por 32,9% a 30,6%, quanto Wellington, por 30% a 28%. Se o confronto fosse entre Edivaldo e Wellington, o primeiro venceria por 33,1% a 30,2%.

A pesquisa foi realizada no período de 3 a 5 de agosto, ou seja, imediatamente após a realização da convenção do PDT, que confirmou a candidatura de Edivaldo. Eliziane e Wellington fizeram suas convenções nesta sexta-feira (05), quando a pesquisa foi fechada. O levantamento foi registrado sob o protocolo MA 09198/2016.

Além de Eliziane e Wellington, tiveram seus nomes avaliados também cinco outros candidatos, com os seguintes resultados: a vereadora Rose Sales (PMB) com 6,6%; o deputado Eduardo Braide (PMN) com 4,9%; o vereador Fábio Câmara (PMDB) com 4,3%; a professora Cláudia Durans (PSTU) com 0,4%; e Valney Barros (PSol) com 0,1%.
Dos entrevistados, 11,1% dizem que não votarão em nenhum destes candidatos e 6,9% ainda não definiram o voto.