Em delações de três diferentes empreiteiras, o ex-governador Sérgio Cabral aparece como personagem principal em esquemas de propinas. De acordo com informações do colunista Lauro Jardim, no jornal O Globo deste domingo (31), as denúncias devem vir à tona após o encerramento dos Jogos Olímpicos.

Um delas é a Carioca Engenharia, cujos executivos já deram seus depoimentos ao Ministério Público Federal (MPF), mas recentemente fizeram um complemento à delação premiada. Seus controladores entregaram à força-tarefa da Lava Jato provas que incriminam, como recebedores de propinas, Sérgio Cabral e Wilson Carlos, seu ex-secretário de governo.

Na Justiça Federal do Rio de Janeiro, começam a ser dados os depoimentos de Alberto Quintaes, ex-diretor da Andrade Gutierrez no estado. De acordo com delação de um outro executivo da empreiteira, eram Quintaes o responsável por entregar em mãos a propina para um operador indicado pelo ex-governador do Rio.