x

O sonho de Laís Souza, após o acidente em que ficou tetraplégica, era entrar andando na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O desejo não será possível, já que a recuperação da ex-atleta é lenta e ela ainda terá uma longa batalha pela frente para tentar recuperar os movimentos do corpo. No entanto, Laís conseguiu fazer uma adaptação, se manter de pé e conduzir a Tocha Olímpica por 200 metros, neste domingo, no Parque Ibirapuera, em São Paulo.

Apoiada em uma cadeira de rodas especial, ela conseguiu ficar em pé, emocionou e recebeu o carinho do público no trajeto em que esteve com a tocha nas mãos (ela foi ajudada pelo pai, já que não recuperou o movimento dos braços).

“Não é a Olimpíada, mas foi uma experiência muito bacana. Não foi só Lais que estava ali, foi uma forma de representar os cadeirantes, minha família e tantas outras pessoas que gostariam de fazer parte disso”, disse Laís em entrevista ao SporTV. Ela passou o fogo olímpico para o atleta Fernando Fernandes, campeão mundial de canoagem paralímpica, mas que acabou ficando fora dos Jogos Paralímpicos.

A ex-ginasta comemorou o fato de ser comentarista dos Jogos pelo canal SporTV e espera rever os grandes amigos que conquistou no meio esportivo.

“Eu estou muito feliz com o convite do SporTV e vou comentar mais ou menos. Vão ter os comentaristas fixos, mas devo contar um pouco dos bastidores da modalidade. Além da ginástica,  quero muito ver meus amigos Neymar e Doda. Foi por causa dele (Doda) que me apaixonei pelo hipismo. Fiz muitos amigos no futebol também,  pois isso não tenho um time específico. Gosto de vários”, declara.

Laís se diz ansiosa pelo início dos Jogos e espera poder conhecer a Vila Olímpica. “Estive no Rio há pouco tempo, mas ainda vi como estão as coisas por lá.  Estou muito ansiosa e não vejo a hora de começar a Olimpíada. Quero entrar na Vila Olímpica se for possível”, conclui.

A brasileira chegou a participar de duas edições dos Jogos Olímpicos como ginasta, em 2004 e 2008. Em 2014, mudou de esporte e se classificou no esqui aéreo para disputar as Olimpíadas de Inverno, em Sochi, na Rússia. No entanto, poucos antes de embarcar para a sede dos Jogos, Laís sofreu um acidente nos Estados Unidos, quando perdeu os movimentos abaixo do pescoço. (Redação SuperFC)