A igreja evangélica Templo Batista Bíblico Salém, no distrito Porto Sauípe, da cidade de Entre Rios, no litoral norte da Bahia, está sendo investigada pelo Ministério Público por causa de faixas fixadas na frente do local contendo teor homofóbico.

O caso chegou até o órgão depois que o pastor resolveu fixar na porta do templo algumas faixas, entre elas uma frase que ele atribui ao livro de Levítico, da Bíblia.

“Se um homem tiver relações com outro homem, os dois deverão ser mortos por causa desse ato nojento. Eles serão responsáveis pela sua própria morte”. Outra faixa diz: “Você é livre para fazer suas escolhas, mas não é livre para escolher as consequências”.

Para o MP, a liberdade religiosa não autoriza ninguém a fazer apologia ao crime. A um site local, o pastor Milton Santos alegou que a intenção não era incentivar agressões aos homossexuais, mas “sim demonstrar a insatisfação de Deus com a vida que estas pessoas escolheram”.