O empresário Ronan Maria Pinto deixou a prisão nesta sexta-feira (8), por volta das 16h, após pagar fiança de R$ 1 milhão e colocar tornozeleira eletrônica. Preso preventivamente desde a 27ª fase da Operação Lava Jato, ele obteve decisão favorável em segunda instância e sai com liberdade condicional. Ele estava detido no Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Conforme a defesa do empresário, ele deverá permanecer em casa à noite e aos finais de semana.

“Pedimos que a prisão fosse revogada e que ele cumprisse outra medida”, esclarece o advogado Fernando José da Costa.

De acordo com as investigações, Ronan Maria Pinto, empresário dono do jornal Diário do Grande ABC, recebeu R$ 6 milhões do esquema de corrupção na Petrobras.

A quantia, conforme o MPF, foi repassada por meio de um empréstimo de R$ 12 milhões feito pelo pecuarista José Carlos Bumlai junto ao Banco Schahin. Deste total, os outros R$ 6 milhões foram destinados a campanhas eleitorais com apoio do PT.