Desde o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, a Mauricio de Sousa produções está fazendo um esforço para mostrar mulheres empoderadas em seus produtos, que incluem a revistinha “Turma da Mônica” e a “Turma da Mônica Jovem”. Em uma dessas iniciativas, a empresa publicou no Facebook um quadrinho no qual a versão adolescente da Mônica reivindica o direito sobre o seu corpo. A reação do público, porém, não foi de acordo com o esperado.

Parte da tirinha com Mônica dizendo “meu corpo, minhas regras” em uma história foi postada pelo filósofo Olavo de Carvalho, em sua página do Facebook, para ilustrar um texto dele. Entendendo que a personagem se referia ao direito de abortar, alguns fãs da turminha se exaltaram. “Posso chegar a conclusão que a Mônica é a favor do aborto, correto? Que triste… Mesmo…”. “Acontece que o bebê dentro da barriga da mãe é outro corpo, não é o dela! Turma da Mônica nunca mais!!!!”, declarou Aninha Macciantelli.

O furor foi tanto que os organizadores da página decidiram, na última semana, recuperar o quadrinho original e esclarecer que a Mônica não exigia o direito de abortar, mas o de não usar aparelho ortodôntico e continuar dentuça. A edição 94 da “Turma da Mônica Jovem” tem causado tanto rebuliço nas redes sociais que a roteirista Petra Leão, responsável pela versão adolescente dos personagens de Mauricio de Sousa, teve que se explicar.

“Ele (Olavo de Carvalho) tirou o quadrinho de contexto, realmente, mas foi no Twitter, através de trolls, que meu nome foi associado a história. A partir disso, o que poderiam ser críticas a MSP (Maurício de Sousa Produções) viraram mensagens de ódio e ofensas pessoais direcionadas especificamente a mim”, disse a profissional em sua página no Facebook. Alvo da ataques virtuais, internautas acusam a roteirista de usar um discurso pró-aborto e pediram até a demissão da profissional. Depois de se manifestar sobre a polêmica, Petra tem recebido mensagens solidárias dos fãs. (Redação – Diversão)