O acidente trágico que vitimou oito pessoas de duas famílias que vinham do município de Humberto de Campos no lençóis maranhense, foi o estopim para crescer os debates e a revolta popular, com as condições existente da principal rodovia que liga a capital maranhense.

A obra de duplicação da BR 135, no trecho da ponte do Estreito dos Mosquito ao município de Bacabeira, continua parada.

A obra foi iniciada no mês de agosto de 2012 e tinha previsão de conclusão para o mês de agosto de 2016;  com a obra parada a mais de um ano, a nova previsão para a retomada foi anunciada para o mês de abril de 2016, o que não aconteceu na pratica. Uma nova data para etapa de conclusão foi prevista pelo Dnit para o mês de abril de 2017.

São inúmeros acidentes e muitas vidas perdidas, alguns com danos materiais, pequenas avarias nos veículos, outros com ferimentos leves, já alguns com vitima fatal; mas nada supera a estatística da gravidade da tragédia que aconteceu no domingo (03) com oito pessoas mortas.

Este é o terceiro acidente envolvendo caminhão de lixo, que seguia com destino o aterro sanitário no município de Rosário. O primeiro foi registrado pelo portal e aconteceu ainda no ano passado, onde um dos caminhões tombou na BR 135 em Campo de Peris, deixando todo o material espalhado na rodovia.

Um pouco mais a frente, um segundo acidente é registrado, desta vez a pressa e a imprudência do condutor deixou uma pessoa do município de Rosário ferida na cabeça, sendo que por pouco não houve uma tragédia. Já neste domingo o terceiro caminhão se envolve em acidente deixando oito pessoas mortas.

A pesar dos dados, caminhões também de outras empresas de transporte de carga como: frios, tijolos e carretas, são flagrados realizando imprudência na pista. O excesso de velocidade e confiança em veículos de grande porte tem sido a causa de vários acidentes.