A Justiça Federal em Londrina, no Paraná, mandou bloquear R$ 19,5 milhões das contas do WhatsApp no Brasil. A empresa, que pertence ao Facebook, descumpriu decisão judicial de liberar mensagens trocadas pelo aplicativo por traficantes investigados pela Polícia Federal.

O pedido veio da Operação Quijarro, que prendeu uma organização criminosa especializada em tráfico internacional de drogas.

Apenas as contas bancárias do WhatsApp no país foram bloqueadas, não há a suspensão do serviço. O valor da multa se refere a multas acumuladas de cinco meses.

A investigação

A operação Quijarro é focada na desarticulação de uma organização criminosa internacional de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro nos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Policiais federais cumpriram 81 mandados judiciais, sendo 14 de prisão preventiva, 17 de busca e apreensão em imóveis, 43 de busca e apreensão de veículos e 7 de condução coercitiva nas cidades de Londrina e Araucária (PR), Corumbá (MS), Martinópolis, Presidente Prudente e São Paulo.

O nome da operação é Quijarro porque a droga entrava no Brasil pelo porto de mesmo nome, que fica na Bolívia e faz fronteira com Corumbá (MS).