A seleção brasileira de vôlei masculino teve um dos seus mais importantes desafios na Liga Mundial 2016. Abrindo a terceira fase em Nancy, na França, o time do técnico Bernardinho enfrentou a Polônia, atual campeã mundial e uma das principais adversárias da atualidade.

E o encontro foi muito bem aproveitado pelo time verde-amarelo, que teve atuação coesa e equilibrada diante de um oponente de alto nível. A vitória por 3 a 0 (30/28, 25/21 e 25/16) mostrou a superioridade do Brasil no confronto, que foi equilibrado em sua maior parte. A troca de pontos foi constante nos dois primeiros sets, assim como uma mínima diferença no marcador, que exigiu do Brasil uma postura agressiva e concentrada. A vibração dos brasileiros em quadra ajudou na conquista do resultado positivo. Somente no terceiro set é que o Brasil conseguiu abrir uma margem maior no placar, graças aos muitos erros cometidos pela Polônia.

Esta foi a sétima vitória do Brasil na competição, após seis jogos. O saque teve novamente grande importância, conseguindo comprometer o volume de jogo polonês, que mostrou maior força no primeiro set.

Com o resultado, o Brasil ficou muito perto de se garantir na fase final da Liga, que acontecerá entre 13 e 17 de julho, em Cracóvia, na Polônia. Os donos da casa já estão classificados e terão a companhia dos cinco times mais bem colocados nas três primeiras etapas. Neste momento, estariam classificados Sérvia, Brasil, EUA, França e Itália.

Bernardinho manteve a conduta dos jogos mais recentes de continuar rodando o elenco e dando oportunidades para alguns jogadores. Foi o caso do líbero Tiago Brendle, do central Maurício Souza e do ponta Maurício Borges. O trio foi bem e deu sua dose de contribuição no triunfo.

Souza foi bastante acionado no meio de rede, correspondendo na maior parte das situações. Sua parceria com o oposto Wallace, nos bloqueios, deu muito trabalho para os poloneses. Borges substituiu bem Murilo, dando consistência no passe e com bom aproveitamento ofensivo.

Wallace e Lucarelli estiveram com a mão calibrada e incomodaram os europeus do começo ao fim. Neste sábado, às 11h, o Brasil encara a Bélgica antes de fechar a participação na fase de classificação contra a França, no domingo, às 13h.

Pelo lado polonês, Kurek e Kubiak deram trabalho para os brasileiros, que souberam reverter momentos de desvantagem como no primeiro e segundo sets, quando poucos pontos separavam os dois times no placar. Com tranquilidade nas horas decisivas, o Brasil conseguiu impor se ritmo e fazer um jogo de poucos erros para minimizar as chances do adversário.