O desembargador Jamil Gedeon julgou improcedente recurso interposto na Justiça Estadual pela Liga das Escolas de Samba e outras cinco agremiações artísticas da capital e manteve suspenso o pagamento de premiações dos supostos vencedores do Carnaval 2016 até o julgamento do mérito.

Na decisão, o desembargador afirma que a decisão proferida pelo juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública merece ser mantida neste momento processual.

“Posto isso, indefiro o pedido de atribuição de efeito ativo ao recurso”, decidiu.

A Flor do Samba ficou apenas em sexto lugar na disputa do Carnaval 2016, mesmo tendo obtido notas 10 em todos os quesitos. Isso porque houve uma punição por atraso na entrada da escola, que alega, por outro lado, ter sido atrapalhada por um guindaste cuja operação era de responsabilidade da própria Fundação Municipal de Cultura (Func).