Em meio à crise econômica e sofrendo com os efeitos da seca, a cidade pernambucana de Caruaru – conhecida por ter uma das principais festas de São João do país- vai gastar R$ 575 mil por um show do cantor Wesley Safadão.

O valor do cachê foi divulgado nesta semana pela Fundação Cultural de Caruaru, órgão municipal que organiza a festa, e é 85% maior do pago pela prefeitura pelo mesmo artista na festa junina do ano passado.

O show está previsto para acontecer no próximo sábado (25). Seis dias depois, o cantor de forró cantará no São João de Campina Grande, na Paraíba, por um cachê de R$ 295 mil, sendo 195 mil da prefeitura e R$ 100 mil de um patrocinador.

Revelado pela banda Garota Safada, Wesley Safadão é atualmente um dos artistas de maior sucesso do país com músicas como “Aquele 1%” e “Camarote”. Costuma ser recebido nos shows por fãs histéricas que gritam: “vai, Safadão, vai, Safadão”.

Neste mês de junho, Safadão tem 30 shows programados em 13 Estados. Nos dias 24, 25 e 26 fará dois shows por dia em cidades da Bahia, Pernambuco e Paraíba.

Além dos R$ 575 mil destinados ao cantor, a prefeitura de Caruaru gastará outros R$ 3,5 milhões com a contratação de artistas para o São João.

Pagará R$ 325 mil por um show do cantor sertanejo Luan Santana, R$ 280 mil pelo cantor de axé Bell Marques, R$ 250 mil pela banda Aviões do Forró e R$ 180 mil pela dupla sertaneja Matheus e Kauan.

Artistas locais terão cachês mais modestos. Silvério Pessoa receberá R$ 15 mil e a banda caruaruense Fulô de Mandacaru, que participa do programa “Superstar”, da Rede Globo, terá R$ 12 mil. O custo total da festa é de R$ 13 milhões.

Emergência

Os gastos contrastam com a situação financeira e social do município, comandado pelo prefeito José Queiroz (PDT). Enfrentando os efeitos da estiagem, Caruaru teve situação emergência decretada pelo Ministério da Integração Nacional em maio.

A cidade de 277 mil habitantes vive uma situação insegurança hídrica: na maioria dos bairros, os moradores recebem água por quatro dias e ficam outros oito sem abastecimento, em sistema de rodízio.

A prefeitura também vive um cenário de crise financeira. Entre janeiro e abril deste ano, a arrecadação do município foi de 187,9 milhões, uma queda de 8% comparado ao mesmo período do ano passado, em valores corrigidos pela inflação.

O gasto com pessoal está em 55,4% da receita, acima dos limite previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Nesta segunda-feira (20), os gastos com cachês foram questionados pelo Ministério Público Federal, pelo Ministério Público do Estado de Pernambuco e pelo Ministério Público de Contas.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de Caruaru informou que o aumento de 85% no valor do contrato com Wesley Safadão entre 2015 e 2016 “deve-se ao sucesso internacional que o mesmo atingiu, fazendo com que o seu cachê fosse valorizado”.
Ainda afirma que a maior parte dos recursos destinados ao São João é através de captação junto a empresas privadas.
Sobre o a situação financeira da prefeitura, informa “todos os fornecedores estão sendo pagos em dia, a folha de pagamento também e as obras continuam em andamento”. E diz que a seca não atingiu diretamente o município.
A assessoria do cantor Wesley Safadão foi procurada, mas não se pronunciou sobre o assunto. (FolhaPress)