Depois de mostrar, no início do mês, o uso de dinheiro público feito pelo ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social) para custear despesas com pipoca e refrigerante em um cinema de Brasília, em 2015, um novo levantamento aponta que a contratação de um canal de TV a cabo com conteúdo erótico também está na lista de gastos na Câmara dos Deputados.

O alvo desta vez é o ministro da Defesa, Raul Jungmann, que, segundo o jornal, pagou com dinheiro da Câmara a seu gabinete funcional em Recife (PE) um pacote de TV a cabo que tinha direito a 11 canais de cinema, entre eles Telecine, HBO e o Sex Zone, de conteúdo exclusivamente adulto.

Em nota, o ministro informou que contratou, no ano passado, o pacote porque era o único que disponibilizava sistema de gravação da TV Câmara e negou ter acessado o canal erótico. A operadora, no entanto, contestou a informação e explicou que existiam outros pacotes na época, inclusive com preços mais baratos. Além disso, a própria Câmara disponibiliza, gratuitamente, os vídeos com atuações parlamentares. Basta o deputado solicitá-los à Câmara.

Segundo a operadora Sky, o chamado “Combo DH Full 2015 + Cinema” durou 12 meses, entre abril do ano passado e março deste ano. Ao todo, a Câmara pagou R$ 3.100 pelo serviço, que dava direito a dois pontos de TV na sede parlamentar de Raul Jungmann, que fica em um prédio no bairro Ilha do Leite, área nobre da cidade de Recife.

Também estavam inclusos no pacote outros serviços, como assistência técnica 24 horas e a possibilidade de assistir à programação de filmes por meio de streaming, como no Netflix.

Supermercado

R$ 7,18. Gastos com alimentação são permitidos pela cota, desde que relacionados à atividade parlamentar. Osmar Terra pediu um reembolso de uma compra de R$ 7,18 em supermercado.