O ex-lateral Cafu está sob investigação da Polícia Civil de São Paulo após um relatório que conteria registros de depósitos de dinheiro feito pelo grupo criminoso. Marcos Evangelista de Morais, o Cafu, teria sido beneficiado pela compra de um terreno do ex-atleta em Alphaville, em Barueri, São Paulo, por parte do grupo criminoso. No entanto,  os supostos valores não foram citados. As informações foram reveladas pela Veja.
Décio Gouveia Luiz, o Décio Português, era responsável financeiro pela contabilidade da facção criminosa e, em uma lista apreendida, em 14 de agosto, no celular pela Polícia, estaria o repasse.
Décio foi transferido para a Penitenciário de Presidente Wenceslau II no dia 28 de agosto e seria responsável por lavar o dinheiro do grupo, além de esconder os valores recebidos.