A Polícia Civil, por meio da 1ª Delegacia Regional de Rosário, cumpriu mandado de prisão temporária em desfavor de G. G. V., na tarde de hoje, dia 04, por ter cometido, em tese, o crime de homicídio qualificado, com o desaparecimento desde o dia 26/05/2021 do senhor Clodomir Cabral Sousa.

Além do cumprimento do mandado de prisão, na residência de G. G. V, foi cumprido um mandado de busca e apreensão, sendo localizada uma arma de fogo, ocasionando sua autuação em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

No dia do desaparecimento, o Sr. Clodomir deslocou-se até o pasto onde criava gados e depois iria para uma área de plantio. No fim do dia, o Sr. Clodomir não retornou, deixando toda família desesperada com seu repentino sumiço.

Ressalta-se que Clodomir era presidente da associação de moradores do povoado e recebeu recentemente R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) a título de indenização, valor que está bloqueado na sua conta corrente até o fim das investigações.

Após as autoridades serem informadas, foram mobilizadas equipes de buscas e cães farejadores por vários dias, com a ajuda de equipes do corpo de Bombeiros e populares, mas nada foi encontrado.

Acompanhe o vídeo:

Nesse passo, foi instaurado um inquérito policial para apurar as circunstâncias do desaparecimento, até que no fim do mês passado, no curso da investigação, foi possível localizar 03 (três) testemunhas que afirmaram ver o Sr. Clodomir muito nervoso e ouvir dele que G. G. V tinha lhe ameaçado dizendo que “lhe daria um fim que nem os ossos seriam encontrados e que nem urubus lhe achariam”.

Além disso, após o desaparecimento de Clodomir o suspeito passou vários dias longe do povoado e em momento algum auxiliou nas buscas, parente por afinidade do desaparecido. As investigações continuam para que fique clara a autoria e participação dos envolvidos.

Comments are closed.