O governador Flávio Dino (PCdoB), anunciou, nesta sexta-feira (26), em entrevista coletiva virtual, novas medidas restritivas para conter o avanço do coronavírus no Maranhão. Foram anunciados novos auxílios e a reabertura de atividade que estavam suspensas ou funcionando em sistema remoto como as escolas que voltam a funcionar no sistema híbrido.

Flávio Dino iniciou a coletiva relatando a reunião que participou mais cedo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. “Em reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, registrei que o Decreto 10.659 não criou coordenação nacional, na medida em que exclui estados e municípios. Propus que o Senado tenha um verdadeiro comitê nacional, inclusive com especialistas da área de saúde”, destacou.

O governador criticou os políticos que se utilizam da pandemia apenas para criticar e nada fazer. E afirmou que pode até errar, mas jamais terá uma postura de omissão. “Posso errar e falhar, mas não me omito, não me escondo. Peço desculpas por eventuais erros, por imperfeições. Não sou de ficar na sombra, na demagogia, na omissão”, disse.

Ao falar sobre o quadro do momento no Maranhão, Flávio Dino revelou preocupação com a situação da pandemia em Imperatriz que, segundo ele está se aproximando dos números de abril do ano passado. E anunciou a ampliação de leitos na região com a criação de novas vagas em Porto Franco.

Flávio Dino reinterou a importância que os municípios atualizem os dados da vacinação no sistema do Ministério da Saúde e disse que até ontem, apenas 146 municípios maranhenses haviam alcançado 70% de aplicação das vacinas recebidas. E revelou a preocupação com a segurança no armazenamento e entrega de vacinas. “Existem quadrilhas especializadas de roubo de vacinas no Maranhão. Estou falando de roubo de vacinas no Maranhão”, afirmou.

O governador esclareceu que desativou os hospitais de campanha no momento certo e que está abrindo agora porque é necessário. “Não tinha como manter uma estrutura mensal de R$ 3 milhões em funcionamento com zero pacientes. O que me criticam porque desativei, teriam me denunciado por manter uma estrutura sem funcionar”, desabafou.

As novas medidas anunciadas pelo governador Flávio Dino foram:

— Antecipação da primeira parcela do décimo terceiro salário;
— Adiamento do pagamento do ICMS beneficiando 130 mil microempresas;
— Novos auxílios emergenciais; distribuição de 115 mil botijões de gás a famílias de baixa renda, através do programa Vale Gás que será encaminhado à Assembleia Legislativa;
— Auxílio combustivel por dois meses para taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos; o valor vai de R$ 60 reais para motos em cidades menores e R$ 300 para carros em cidades maiores;
— Novo auxílio emergencial para o setor de eventos no valor de R$ 600 em parcela única;
— Auxílio emergencial para o turismo, no valor de R$ 600 para os guias e de R$ 1 mil para empresas em parcela única.
— As escolas voltam a funcionar em sistema híbrido (particulares e municipais), pois as estaduais continuarão remotas;
— Serviços públicos continuam suspensos por mais uma semana;
shows, festas e eventos permanecerão suspensos;
— Bares e restaurantes podem funcionar com 50% de ocupação