A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou, nesta terça-feira (16), a presença da variante brasileira do coronavírus no Rio de Janeiro. Embora a circulação da mutação, descoberta em Manaus, já fosse especulada, esta é a primeira vez que ocorre uma confirmação.

A mutação, chamada de P.1., é comprovadamente mais transmissível que a versão mais conhecida do vírus. Apesar disso, ainda não há informações concretas sobre a variante ser mais letal. A Fundação não informou se a amostra indica transmissão local.

Além variante brasileira, outras duas mutações do coronavírus causam preocupação no mundo: a B.1.1.7, identificada pela primeira vez no Reino Unido, e a 501Y.V2, descoberta após o sequenciamento de vírus na África do Sul. A brasileira já foi identificada em pelo menos 10 países.