A Itália registrou nesta quarta-feira (14) o maior número de casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) em 24 horas desde o início da pandemia. De acordo com dados do Ministério da Saúde do país, mais de 7.300 pessoas foram diagnosticadas com a doença nas últimas 24 horas. O boletim supera as 6.557 infecções confirmadas em 21 de março, maior marca até então.

Apesar do recorde de casos, a taxa de letalidade da segunda onda é menor do que durante a fase crítica da pandemia no país.

Ainde de acordo com os dados do Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas, a Itália registrou apenas 43 óbitos relacionados à doença, contra 793 no dia do recorde anterior de infecções. O país chegou a 372.799 casos de Covid-19 e 36.289 mortes.

Itália endurece restrições para conter alta da Covid-19

Na terça-feira (13), o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, impôs novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares em uma tentativa de desacelerar o crescente aumento nas infecções pelo novo coronavírus.

O  decreto do governo da Itália passa a valer a partir de hoje (14) e tem previsão de durar um mês.

A decisão proíbe festas em restaurantes, clubes ou a céu aberto. Além disso, há a recomendação para que as pessoas não façam festas em casa ou recebam mais de seis convidados por vez. Casamentos e outras cerimônias não podem ter a presença de mais de 30 pessoas.

O decreto também aconselha o uso de máscaras, que já é obrigatório ao ar livre e em prédios públicos, também dentro de casa, quando membros de fora da família estiverem presentes. Restaurantes e bares podem ficar abertos até meia-noite para serviço de mesa.