Em sua primeira live realizada após se recuperar da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que está com “mofo no pulmão” após se curar da doença. Ele também ironizou a Coronavac, vacina da China da Sinovac que está sendo testada pelo Instituto Butantan, em São Paulo. Bolsonaro também elogiou a gestão do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, e criticou Luiz Henrique Mandetta.

Bolsonaro ainda afirmou na transmissão ao vivo em seu Facebook que, até novembro deste ano, 100 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus serão enviadas ao Brasil pela AstraZeneca. Apesar disto, o contrato para participação do consórcio ainda não foi assinado pelo presidente. A previsão é de que seja assinado em agosto.

“Se fala muito da vacina da Covid-19. Nós entramos naquele consórcio lá de Oxford. Pelo que tudo indica, vai dar certo e 100 milhões de unidades chegarão para nós. Não é daquele outro país não, tá ok, pessoal? É de Oxford aí”, enfatizou Bolsonaro, em referência à China.

O presidente afirmou ainda que, por já ter contraído a doença, está isento da responsabilidade de tomar a vacina. “Quem não contraiu o vírus até lá… Eu não preciso tomar porque já estou safo”, afirmou.

Apesar de recuperado, Bolsonaro afirmou que está se sentindo fraco e, por isso, realizou um exame de sangue na última quarta-feira (29). O presidente está com uma infecção no pulmão. Mesmo assim, Bolsonaro irá amanhã para Bagé, no Rio Grande do Sul.

“Tomei agora um antibiótico. Depois de 20 dias dentro de casa, a gente pega outros problemas, peguei mofo, mofo no pulmão deve ser. E amanhã, barra pesada, porque a temperatura lá em Bagé tá zero grau”, disse.

Novamente, o presidente Bolsonaro fez propaganda do medicamento que não tem eficácia científica comprovada contra a Covid-19, a hidroxicloroquina.