Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, preso no início da manhã de hoje, chegou à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, por volta das 13h. Lá existe uma central de audiência e de custódia.

Queiroz estava em Atibaia, no interior paulista, e veio de São Paulo para o Rio em um helicóptero. Ele seria transferido ainda esta quinta para o Complexo Penitenciário de Gericinó, de segurança máxima.

O mandado de prisão foi expedido pela Justiça do Rio de Janeiro, em um desdobramento da investigação que apura um esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Também foi determinada a prisão da mulher de Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar. Até a última atualização desta reportagem, ela ainda não havia sido encontrada e era considerada foragida.

Por telefone, o advogado Paulo Catta Preta disse que foi procurado pelos parentes do Queiroz há alguns dias. “Agora, com a prisão dele, começa o meu trabalho. Ainda não tive acesso à decisão judicial. Também vou tentar encontrá-lo ainda hoje (nesta quinta)”, afirmou.