Em nota oficial, a CBF anunciou, na noite desta segunda-feira (8/6) a saída do Brasil da disputa para receber a Copa do Mundo Feminina em 2023. Segundo a entidade, uma combinação de fatores e uma reavaliação culminaram na desistência.

Além de uma resposta da FIFA a falta de algumas garantias não encaminhados pela CBF, onde a entidade máxima do futebol mundial notou a ausência de: ”garantias do Governo Federal e documentos de terceiras partes, públicas e privadas, envolvidas na realização do evento.”

A Fifa anunciará o país escolhido em 25 de junho. O Brasil tentava sediar a maior competição da modalidade pela primeira vez na história. Agora restam apenas três possibilidades: Colômbia (apoiada pelo Brasil), Japão e a candidatura dupla de Austrália e Nova Zelândia.