A Polícia Federal, com apoio da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), investiga ameaças contra “figuras públicas, notadamente ao presidente Jair Bolsonaro” após dois carros do Ibama, em Brasília, serem queimados em ato reivindicado por um grupo autointitulado “Sociedade Secreta Silvestre”, informa a revista Veja a partir de documentos obtidos pela publicação. O ataque teria sido endereçado ao ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente:
“Cuidado, Salles. Você é uma figura pública. Não somos como os desprezíveis do Partido da Causa Operária que rosnam o tempo inteiro babando radicalismo, mas que quando te encontram dão tapinhas em seu carro. Operamos terroristicamente apenas. Não temos pressa, só disposição, arsenais e objetivos, e você é um deles, junto com a turma incompetente e pateta dos ‘Bolsonaros’ e outros que já mencionamos”, diz mensagem do grupo postado na deep web.
A ministra Damares Alves também teria sido alvo do mesmo grupo, que se classifica como “ecoterrorista e anticristão”, no início do ano com uma postagem ameaçadora. “Já pensou um culto em sua igreja voando pelos ares como no Sri Lanka? Ou um evento seu? E uma toxina mortal em alguma alimentação sua? Uma bala na sua cabeça enquanto se desloca a trabalho?”, escreveu o suposto coletivo. Tanto ela quanto Salles reforçaram medidas de segurança. (Estadão – BR)
Portal MA+ no Facebook — Instagran  — Twitter WhatsApp 98434-6482