Tarifa de energia / Foto portal MA+
portal MA+
Alíquota chega a 28,5% e é o terceiro aumento na gestão do Governador Flávio Dino (PCdoB)

Nos últimos 50 dias da data em vigor do reajuste do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços — ICMS do governador do Estado, o comunista Flávio Dino, enviado a Assembleia Legislativa no mês de dezembro ao apagar das luzes, tem prejudicado e dificultado a vida dos maranhenses.
O aumento é cobrado em maior alíquota embutida na tarifas de energia elétrica que chega as residencias do consumidor em vários municípios do Maranhão. Fornecida pela Companhia Energética do Maranhão — Cemar, privatizada pela empresa Equatorial, as tarifas pagas no ICMS consomem parte da renda familiar.
Para uma talão de energia de consumo simples de R$ 100, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços — ICMS do comunista leva quase R$ 23,00. Outro setor que tem reflexo direto no bolso do consumidor é o combustível que fica fora da média por conta da taxa do ICMS cobrado pelo governador do estado Flávio Dino e aprovado pelos deputados estaduais aliados.
O governo Flávio Dino, mais uma vez maltrata um povo humilde, tirando sempre do mais podres. O estado no governo de Flávio Dino passa por um verdadeiro descaso nacional, com um dos piores índices de desenvolvimento — IDH.
Portal MA+ no Facebook — Instagran  — Twitter WhatsApp 98434-6482