A Justiça do Peru condenou a três anos de prisão preventiva o ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, por suposta lavagem de dinheiro ligada ao escândalo da Odebrecht, que já atingiu quatro ex-presidentes do país.
Kuczynski estava preso provisoriamente desde a semana passada. A detenção temporária, de 10 dias, expiraria neste sábado. Na quarta-feira, o político de 80 anos teve uma crise de hipertensão e foi submetido a um cateterismo.
O promotor da Lava Jato peruana, José Domingo Perez, justificou a detenção provisória alegando que há perigo de obstrução das investigações caso o ex-presidente permaneça livre. Perez também rejeitou a solicitação de modificar o pedido de prisão preventiva para prisão domiciliar, afirmando que Kuczynski não sofre de doença grave, exigência legal para que um acusado permaneça detido em casa.
O ex-presidente está sendo acusado de ter recebido dinheiro da Odebrecht quando era ministro da Economia no governo de Alejandro Toledo. Em 2017, a construtora brasileira revelou que pagou quase US$ 5 milhões por serviços de consultoria às empresas First Capital e Westfield Capital, ligadas a Kuczynski. (Fonte: Associated Press)
Portal MA+ no Facebook — Instagran  — Twitter WhatsApp 98434-6482