O serviço de inteligência da Venezuela bloqueou o acesso da população ao YouTube, de acordo com o site NetBlocks.
A restrição começou nesta quarta-feira, por volta do meio-dia, e engloba serviços do Google e da plataforma móvel Android. O Twitter e o Instagram também foram censurados pela ditadura de Nicolás Maduro.
A oposição venezuelana, liderada por Juan Guaidó, marcou para a primeira semana de fevereiro uma marcha de apelo humanitário.
Portal MA+ no Facebook — Instagran  — Twitter