Em uma sessão muito tumultuada a Câmara Municipal da cidade Tutoia, cidade distante 322 km da capital, afastou o prefeito, Romildo Damasceno, até que seja dada por finalizada a investigação da CPI da Saúde, que foi instaurada pela Câmara de vereadores do Município, onde tem como presidente da comissão , a Vereadora Jamilza Baquil (PR).

Pelo voto favorável de 10 dos 13 vereadores o prefeito de Tutóia é afastado do cargo por 15 dias sob a alegação de irregularidades encontradas na gestão dos recursos do SUS-Sistema Único de Saúde na gestão de Romildo do Hospital (PSDB).

Veja como votou cada um dos vereadores:

Isaias Porto e Paulinho Caldas, contra o afastamento. Raimundo Sintraf optou pela abstenção.

Gleison do Carlito, Nelinho Ribeiro, Wiliam Silva, Jamilza Baquil, Dr. Cassiano, Nilson Santos, Ze de Mar, Paulo Rogério, Viriato e o presidente da Casa, Raimundinho da Seriema votaram pelo afastamento cautelar do prefeito.

Com o afastamento a vice-prefeita Helenice Barroso será empossada na manhã desta terça-feira (28) e passa a ser a primeira mulher a assumir o executivo de Tutóia, ainda que provisoriamente.

Segundo o relatório da CPI- Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pela vereadora Jamilza Baquil, o prefeito obstruiu o trabalho da CPI e ainda tentou impedir que servidores do hospital fossem depor.

Na rede social há comentários de toda natureza, a maioria elogiando a ação do parlamento e alguns que dizem que o prefeito vai reverter a situação em tempo curto com decisão de liminar.

O fato é que há grande possibilidade de Romildo do Hospital ser afastado definitivamente do cargo, ou seja, ter o mandato cassado. Entretanto, é quase certo que, simultaneamente, amanhã a vice será empossada e o prefeito entra com ação na justiça pedindo a derrubada da decisão da Câmara.