Projeto existe há 12 anos e vem sendo ampliado e ganhando maior estabilidade desde a primeira gestão da prefeita Irlahi

Atividades físicas como dança e alongamento, cursos e passeios. Estas são apenas algumas das ações desenvolvidas pelo Centro de Atenção Integral à Pessoa Idosa de Rosário (CAIPIR), criado em 2005. O Caipir é coordenado pelas secretarias municipais de Saúde e de Assistência Social de Rosário.

Segundo a superintendente do Centro, Lucia Helena Cavalcante, há mais de 400 idosos cadastrados no Centro. Deste montante, 80 são assíduos e participam de todas as atividades realizadas. “Temos idosos de várias idades. O mais velho tem 87 anos e está presente em todas as ações que realizamos, que, aliás, são diárias”, revela a superintendente.

De acordo com Lucia Helena, por meio do Caipir, os idosos dispõem de médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, dentre outros profissionais. “Entendemos que oferecer estes serviços é contribuir para o exercício da cidadania, e é o que queremos para nossos idosos”, justifica.

No Caipir, os idosos também recebem alimentos, o que, segundo a prefeita Irlahi Moraes (PMDB), é viabilizado pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). “Com isso podemos não apenas oferecer lanches e sopão, mas, também, distribuir cestas de alimentos”, revela.

Para a dona de casa Rolieth Silveira, 68 anos, participar do Projeto tem sido importante na manutenção da saúde física e mental. “Desde que comecei, meu corpo está bem melhor. Tenho certeza que se não fosse pelo Caipir, hoje eu estaria aleijada, pois vinha sentindo dores e limitações nos meus movimentos. E lá somos uma irmandade, o que me faz imensamente feliz”.

Calendário diversificado

Todos os dias são realizadas ações no Centro de Atenção Integral à Pessoa Idosa. Estas incluem não apenas atividades físicas, mas outras como curso de memória e passeios. “No final de novembro, inclusive, já está programada a ida do grupo à cidade de Palmas, no Tocantins”, revela Lucia Helena Cavalcante.

A superintendente destaca que ações como esta viagem a Palmas só estão sendo possibilitadas pelo apoio que o Caipir vem recebendo da administração municipal. “Isso tem viabilizado, ainda, um permanente avanço no atendimento”, finaliza Lucia Helena Cavalcante.