A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) fará a discussão sobre o sigilo das delações premiadas, de acordo com a Coluna do Estadão.

Acordos firmados pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, incluíram cláusulas nas quais os colaboradores renunciavam ao sigilo antes de serem denunciados. Segundo a publicação, na avaliação de alguns ministros, a prática é ilegal. A publicidade, dizem, expõe o delator e o delatado.

Ainda de acordo com o jornal, quem acompanha o assunto diz que uma definição contrária ao que foi praticado pela Procuradoria pode abrir brechas para quem se sentir prejudicado ingressar com ação contra a União.