Darc Souza Queiroz, de 24 anos, e o irmão Abner Calebe de Souza, Nascimento, de 20 anos

O assassino Pedro Queiroz Gonçalves, de 29 anos se entregou à polícia na madrugada desta quinta-feira (5), em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, depois de matar a facadas a ex-mulher, Darc Souza Queiroz de 24, e o irmão dela,Abner Calebe de Souza, de 20. Ele ainda esfaqueou a ex-cunhada, de 22, que está internada em estado grave, e ligou para a sogra para avisar sobre os crimes.

As três vítimas foram atacadas pelo assassino em um prédio onde mora a família na rua João Cunha, no bairro Caiçara.

Quando a Polícia Militar (PM) chegou ao edifício, o criminoso já havia deixado o local em seu carro e seguido para uma delegacia da cidade.

Na garagem do imóvel, os militares encontraram a mulher morta com diversas perfurações. Nas escadas, a irmã dela estava ensanguentada, com vários cortes, mas consciente. Desesperada, a jovem contou que o irmão delas estava ferido dentro do apartamento, no primeiro andar. Os policiais foram até lá e encontraram o rapaz morto. A única sobrevivente foi encaminhada em estado grave para um hospital do município.

Ainda conforme a PM, ao se apresentar à polícia, o bandido contou todos os detalhes do crime e entregou a faca utilizada para assassinar as vítimas. Ele afirmou que foi até o prédio, já armado, para ter uma conversa com a ex-mulher. No local, eles discutiram e, em seguida, ele a atacou diversas vezes. A irmã ouviu os gritos e desceu correndo as escadas para tentar salvá-la. No entanto, o assassino a encontrou no meio do caminho, a esfaqueou e correu para o apartamento onde matou o irmão delas.

Conforme o relato do criminoso à PM, o casal se separou na semana passada. Ele contou que a ex-mulher “não o deixava em paz” e que ela continuava ligando para os pais dele, que moram em Brasília, para “tentar queimá-lo com a própria família”.

Diante dessa situação, o criminoso disse que foi até o prédio “para acertar as contas” com a ex e ainda ressaltou que “não se arrepende dos crimes”.

Segundo a Polícia Civil, o homem confessou os crimes na delegacia, e que, inclusive, já tinha procurado a ex-mulher com intenção de matá-la. Ele vai responder pelos crimes de duplo homicídio e feminicídio. A Polícia Civil também trabalha com a linha de investigação de que esse é um crime passional.

Entenda o caso

Os irmãos maranhenses foram morar em Patos de Minas para estudar no Centro Universitário. Darc Souza (recebeu 26 facadas), cursava psicologia, enquanto Abner Calebe de Souza Nascimento (recebeu 24 facadas), era aluno de engenharia elétrica. A terceira vítima da tragédia, Damáris Nascimento (recebeu 20 facadas), que segue internada, cursa engenharia ambiental na mesma instituição.

Pedro Queiroz gravou a confissão do crime em áudio e enviou por WhatsApp para diversas pessoas. A veracidade da gravação, que viralizou em grupos do aplicativo, foi confirmada pelo delegado que está à frente do caso, Érico Rodovalho. No áudio de 25 segundos, o autor se apresenta, diz o nome das vítimas e comunica que todos estariam mortos.

“Oi, gente. Boa noite. Aqui é o Pedro. Todo mundo já me conhece, só tô avisando que vamos ter velórios, né? Darc, Damaris e Calebe estão mortos porque eu matei, tá ok? Estou indo na delegacia agora me entregar, tá bom? Tchau”, diz o agressor no áudio.

Motivação do crime

Testemunhas disseram à polícia que era madrugada quando o autor chegou ao prédio onde a ex-mulher estava vivendo há uma semana com os irmãos de 20 e 24 anos no Bairro Caiçara. O motivo do crime seria ciúmes. O criminoso suspeitava que a ex estava em outro relacionamento.

“Ele disse que chegou a amolar a faca [usada no crime], se preparou para aquilo. Ele chamou a ex, os dois começaram a discutir e ele começou a golpeá-la em várias partes do corpo. A irmã tentou interferir e acabou atingida. A ex ele golpeou na garagem e a outra [vítima] na escada. Ele ainda foi até o apartamento, onde encontrou o irmão da ex e o esfaqueou”, contou o delegado com base no relato do jovem e de testemunhas.

Após cometer o crime, o rapaz, que trabalhava com serviços gerais, mas atualmente está desempregado, foi até a delegacia e se entregou. Detido em flagrante, ele teve a prisão convertida em preventiva à pedido do delegado e foi levado para o Presídio Sebastião Satiro, em Patos de Minas.