Um caso de latrocínio (matar para roubar) que chocou o Maranhão, no ano passado, foi concluído com a condenação de três acusados. O crime teve quatro vítimas fatais, e ainda duas pessoas feridas com queimaduras.

O juiz titular de Cantanhede, Paulo do Nascimento Júnior condenou José de Ribamar Pereira Santos e Marcelino Costa a pena de 90 anos e meio, cada um, pelos crimes praticados contra as seis pessoas. José Xavier da Conceição recebeu a pena de 129 anos e 11 meses. O acusado Antônio da Cruz Silva foi absolvido o réu Francisco Silva da Conceição teve o processo suspenso e separado dos demais.

O crime

Em julho de 2016, os denunciados José de Ribamar Pereira, Marcelino Costa e Francisco Silva Conceição, armados com um revólver calibre 38, chegaram a casa da vítima Raimundo Frazão, que fica na Zona Rural de Pirapemas (termo judiciário de Cantanhede), onde também estavam as outras cinco vítimas. O objetivo era roubar a quantia de R$ 15 mil. Marcelino chamou Raimundo e anunciou o assalto. Raimundo Frazão negou ter dinheiro.

As vítimas foram colocadas num quarto e pressionadas para entregar o dinheiro. Marcelino usou de gasolina para molhar as roupas e o colchão dizendo que atearia fogo caso o dinheiro não aparecesse. Segundo apurações da polícia, casa foi incendiada com as vítimas dentro. Morreram Raimundo da Conceição Frazão, Rivelino Marques de Araújo, Rosilene da Silva Santos e Maria Francinete da Silva Frazão. Ficaram feridas as vítimas Agnaldo da Silva Conceição e Celso Silva da Costa.

José Xavier da Conceição foi o mentor intelectual do crime, auxiliado por Marcelino Costa, José de Ribamar Pereira dos Santos (que confessaram os crimes).