A ação é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio com o objetivo direto de alertar sobre a problemática   

Por Cely Oliveira

Desde 2015, em todo o Brasil, o mês de setembro tem sido utilizado como período para se intensificarem as discussões sobre o suicídio. Batizada como ‘Setembro Amarelo’, a iniciativa é realizada sob diversas formas e, em Rosário, virou tema de palestras, que acontecem durante toda esta semana em escolas de Ensino Médio da cidade.

A ação tem como tema ‘Falar é a melhor solução: a dor de quem não consegue falar e os conflitos de quem não sabe o que fazer’. Está sendo promovida pela Prefeitura de Rosário, por meio da Superintendência de Juventude e da Secretaria Municipal de Assistência Social, cujas atividades estão sendo coordenadas pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e pelos centros de referência de Assistência Social (CRAS) da sede e do povoado São Simão.

As palestras estão sendo ministradas em unidades escolares de Ensino Médio na sede e no povoado São Simão. “O objetivo maior de nossa ação, assim como é todo o Brasil, é alertar jovens sobre o suicídio, colaborando, dessa forma, na prevenção deste problema”, destaca o secretário municipal de Assistência Social, Ulcilas Batista de Carvalho.

De acordo com a psicóloga do CRAS Sede, Kelly Rayany, palestrante da ação, falar sobre suicídio ainda é um tabu social e isso aumenta a importância das ações desenvolvidas durante o Setembro Amarelo. “Hoje entendemos que a melhor solução é falar sobre o assunto. Então, precisamos promover eventos que abram espaço para a discussão sobre o tema, para ajudar na conscientização social”.

Este aspecto também é destacado pelo psicólogo João Leandro Martins, do CRAS de São Simão, que também está atuando como palestrante no Setembro Amarelo em Rosário. Segundo ele, antes, a estratégia adotada era não falar sobre o assunto, pois se entendia que abordar o tema serviria para estimular a prática. “Mas com o aumento no índice de suicídio, o Ministério da Saúde identificou que esclarecer é a melhor maneira de evitar”, afirma.

Durante as palestras, os psicólogos chamam a atenção para um fator que pode agravar o problema, que é a falta de encorajamento em se buscar ajuda. “Estamos esclarecendo que procurar alguém de confiança para pedir apoio e falar sobre o assunto é de extrema importância. E quem, de fato, não tem coragem de falar abertamente, pode procurar auxílio profissional no site do CVC”, diz Kelly Rayany, referindo-se ao Centro de Valorização da Vida. “Lá, o atendimento é feito 24 horas por dia e também oferece o recurso da ligação telefônica, tudo de forma gratuita”, completa a psicóloga.

Leave A Reply