O juiz federal Sergio Moro negou, mais uma vez, pedido da defesa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para ficar mais tempo preso em Brasília, para onde foi transferido por autorização do magistrado com o fim de prestar depoimento ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal.

Quando foi enviado ao Distrito Federal, o peemedebista solicitou permanência definitiva em Brasília, no Complexo Penitenciário da Papuda, indeferida por Moro, em agosto.

Na última sexta-feira, o juiz da Lava Jato voltou a negar, desta vez, um pedido para que Cunha permanecesse em Brasília até as alegações finais do processo pelo qual responde à 10ª Vara Federal, perante ao magistrado Vallisney de Oliveira.

“Descabe a prorrogação da permanência até a apresentação das alegações finais, eis que tais atos não demandam a presença do acusado perante o Juízo da 10ª Vara Federal de Brasília”, anotou Moro.

Data – O interrogatório de Eduardo Cunha em processo pelo qual responde em Brasília foi adiado para o dia 9 de outubro, quando ele deve prestar seu depoimento e voltar para Curitiba.