Desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis e para a criação de vínculos com a produção agrícola/Foto: PMR

Diário de Rosário


Por Cely Oliveira

O projeto da Prefeitura é voltado a crianças matriculadas em creches municipais e a estudantes com até 12 anos de idade

Contribuir para o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis e para a criação de vínculos com a produção agrícola. Estes são os principais objetivos do projeto ‘Educando e Produzindo Hortaliças na Escola’, desenvolvido pela Prefeitura de Rosário, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca, que chega à segunda etapa.

O Projeto foi iniciado no Centro de Ensino Infantil Ciranda do Saber, escola municipal localizada no povoado Cidade Nova, onde os educadores voltaram sua atenção às crianças da creche. Lá foi criada a primeira horta, onde estão sendo cultivados alface, cheiro verde, cebolinha, cenoura, beterraba e berinjela.

De acordo com o secretário de Agricultura, Abastecimento e Pesca, Valter Costa, o Educando e Produzindo Hortaliças na Escola’ proporciona um aprendizado prático, que valoriza a produção no campo, ao mesmo tempo em que colabora para que os estudantes desenvolvam hábitos alimentares saudáveis, na medida em que essas crianças e jovens passam a vivenciar o cultivo do próprio alimento. — Muitos destes jovens possuem pais agricultores, mas não têm ligação alguma com a forma como são produzidos os produtos que eles mesmos consomem em casa e na escola. O Projeto, então, cria essa ligação e os faz perceberem a importância da agricultura — afirma Valter.

O secretário afirma que, durante as atividades desenvolvidas, os alunos aprendem a plantar, cultivar, colher e a forma como podem ser consumidos os alimentos, tudo isso como parte do processo educacional. Daí o ‘Educando e Produzindo Hortaliças na Escola’ contar com a parceria da Secretaria Municipal de Educação. — Também temos o apoio da Agerp, que doa as sementes — diz ele, referindo-se à Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão.

Interação

Ao falar sobre o projeto, a prefeita de Rosário, Irlahi Moraes (PMDB), também destaca que o projeto é uma alternativa para ampliar o contato dos estudantes com os processos de produção de alimentos, em um primeiro momento, mas, também, com a natureza. — E isso faz com que eles entendam, desde cedo, as consequências das ações humanas no ambiente e aprendam a ter uma postura ecologicamente correta.

Irlahi Moraes revela que parte dos produtos são destinados ao consumo na própria escola. Também destinamos uma parcela para ser distribuída às famílias destes estudantes”, conta a prefeita.

Expansão

Segundo Valter Costa, os primeiros resultados obtidos com o ‘Educando e Produzindo Hortaliças na Escola’ permitem que o projeto não apenas seja mantido, como que possa ser implantado, até 2020, em todos os locais classificados como pólos agrícolas de Rosário, um em cada escola, totalizando quatro. — Expandir o projeto já estava previsto pela Prefeitura, mas o que estamos constatando entre os estudantes nos permite seguir com mais segurança ainda.

Os pólos agrícolas estão localizados nos povoados São Miguel, Lentel e Itaipu, além da sede do município. — São localidades onde se agrupam agricultores e onde acontecem as reuniões para tratar de temas de interesse desse segmento econômico. Então, nada mais lógico que levar o projeto até esses locais — finaliza Valter Costa.