image (1)

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou na noite dessa terça-feira (23) elevação do nível de alerta terrorista de “grave” para “crítico”, um dia após o atentado suicida cometido por um estudante de origem líbia em Manchester, que deixou 22 mortos.

“Não podemos ignorar a possibilidade de que um grupo mais amplo de indivíduos esteja ligado ao atentado de Manchester”, declarou Theresa May, após o atentado no final do show da cantora pop Ariana Grande, na cidade do noroeste da Inglaterra.

O nível de alerta “crítico” significa a possibilidade de um ataque iminente.[NORMAL_A] A segurança no restante do Reino Unido será incrementada com um maior contingente policial deslocado para Londres.
O homem-bomba foi identificado como Salman Abedi, 22, afirmou o chefe da política de Manchester, Ian Hopkins. Segundo a rede BBC, Abedi nasceu em Manchester e sua família tem origem líbia. A investigação busca entender agora se Abedi atuava sozinho ou se era parte de uma organização.

Também nessa terça-feira (23), a polícia prendeu na região sul da cidade um homem de 23 anos suspeito de conexão com o atentado, que deixou ao menos 22 mortos e dezenas de feridos após o fim do show na Manchester Arena. Não há brasileiros entre as vítimas, informou o Itamaraty.

A facção terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria da ação em uma mensagem que, no entanto, não apresentou nenhuma evidência de sua participação real. É possível, como em outros casos no passado, que o autor tenha agido sozinho e agora a facção tente se beneficiar da atenção na mídia, que é uma parte importante de sua estratégia para recrutar militantes.

“Esse ataque se destaca por sua covardia doentia e pavorosa, tendo como alvo deliberado crianças indefesas e inocentes e jovens que deveriam estar aproveitando uma das noites mais memoráveis de suas vidas”, afirmou Theresa May, que visitou o local do ataque pela manhã.

Campanha suspensa – Após conversar com o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, ela concordou em suspender a campanha para a eleição parlamentar de 8 de junho.

A rainha Elizabeth 2ª disse nessa terça-feira (23) que “a nação inteira está chocada” com o ataque. “Sei que falo por todo mundo ao expressar minha empatia mais profunda com todos os que foram afetados por esse evento horrível”, afirmou. A chanceler alemã, Angela Merkel, disse estar triste e em choque. “As pessoas no Reino Unido podem estar convencidas de que a Alemanha está do lado delas”.