No mesmo dia em que a delação de Joesley Batista foi divulgada e a bomba caiu sob a cabeça do presidente Michel Temer, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) divulgou texto de próprio punho em que afirma jamais ter pedido a Temer ‘qualquer coisa’.

Hoje, foi divulgada a carta. Escrita em uma folha de papel almaço e em 18 linhas, Cunha diz que está “exercendo o meu direito de defesa e não estou em silêncio e tampouco ficarei”.

 

image
Leia a carta de Cunha em que se defende e diz que Temer não comprou o seu silêncio

Leia abaixo a carta completa

Com relação aos fatos divulgados referente à suposta delação do empresário Joesley Batista, tenho a esclarecer o seguinte:

1) Repudio com veemência as informações divulgadas de que estaria recebendo qualquer benefício para me manter em silêncio.

2) Estou exercendo o meu direito de defesa: não estou em silêncio e tampouco ficarei.

3) São falsas as afirmações divulgadas atribuídas a Joesley Batista de que estaria comprando o meu silêncio.

4) Jamais pedi qualquer coisa ao presidente Michele Temer e também jamais recebi dele qualquer pedido para me manter em silêncio.

5) Recentemente, após entrevista dele, o desmenti com contundência, mostrando que não estou alinhado em nenhuma versão de fatos que não sejam os verdadeiros.