WhatsApp-Image-2017-05-12-at-09.39.50

Durante sessão realizada na tarde desta quinta-feira (11), o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE) rejeitou ação, reclamada pela então candidata a prefeita de São Luís, Eliziane Gama (PPS), na qual ela acusava o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) de contratar uma empresa para compra de cabos eleitorais. O processo ficou conhecido popularmente como “Caso Isec”, em referência ao nome da empresa em questão.

Com a decisão, a Corte entendeu que não há provas atestando que o contrato com o Isec foi usada politicamente na eleição. Segundo Eliziane, à época, Edivaldo Jr. teria gasto R$ 33 milhões na suposta infração eleitoral.

Devido à decisão, Edivaldo Jr. afasta os riscos de cassação do diploma e de se tornar inelegível por oito anos. Esta não foi a primeira derrota de Gama na questão. Antes de protocolar a questão no TRE, Eliziane tentou apelar no âmbito judicial do 1º grau. A juíza Ana Célia Santana, da 1ª Zona Eleitoral, decidiu que não há provas de que o Isec foi “contratado para compra de votos”.