Antônio Américo, presidente da FMF, e Antônio Henrique, diretor de competições da entidade, decidiram interromper o Campeonato Estadual
Antônio Américo, presidente da FMF, e Antônio Henrique, diretor de competições da entidade, decidiram interromper o Campeonato Estadual (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

O Campeonato maranhense continua suspenso e sem data para recomeçar. Na sexta-feira (21), após uma reunião, a Federação Maranhense de Futebol (FMF) decidiu adiar a partida adiar a primeira partida da final do 2º turno entre Cordino e Sampaio, que aconteceria neste domingo (23), até que o Tribunal de Justiça Desportiva julgue todas ações, referentes a competição, que ainda estão pendentes.

A cúpula da FMF entende que, como três ações – que são o pedido de anulação da final do primeiro turno, feito pelo Imperatriz, o recurso do Sampaio pela perda dos quatro pontos com a escalação do goleiro Jean e o recurso do Moto sobre a vantagem do Tricolor na semifinal do returno -, estão pendentes, o rumo do certame pode mudar de acordo com a decisão do pleno do tribunal. Sendo assim, entende a FMF, que é melhor esperar e não realizar as partidas que restam.

“Por conta das duas ações, existe a possibilidade de mudanças, tanto no resultado do primeiro turno, quanto no confronto da final do segundo turno; e consequentemente na final do Campeonato Maranhense de Futebol série-A de 2017. Por isso, a decisão de suspender o Campeonato ficará mantida até que o Pleno do TJD-MA julgue os referidos processos”, informou a FMF, em nota no seu site oficial.

O Tribunal ainda não se manifestou, mas a tendência que nesta semana o andamento das pautas seja acelerado devida a esta grande demanda e o travamento do Estadual. “O TJD é autônomo, que marca a data [dos julgamentos] é o presidente do mesmo, e não a FMF”, comentou presidente da FMF, Antônio Américo, ao ser questionado sobre a situação.

Segundo o diretor de competições da entidade, Antônio Henrique, a possibilidade é remarcar as partidas pendentes para as quartas e quinta-feiras, para não atrapalhar com calendário nos meses de maio e junho, já que a Série C do Brasileiro já começa no dia 13 do próximo mês para Sampaio e Moto. Ainda segundo o diretor, existe também a necessidade de cumprir acordo com o Governo do Estado e com a Cemar, que são patrocinadores da transmissão, pela TV, da final do Campeonato.

O Vice-presidente Jurídico da FMF, Márcio Biguá, informou que o TJD já havia ordenado a não homologação do resultado da partida entre Imperatriz e Cordino, que decidiu o primeiro turno do Campeonato. Por isso, mesmo desconsiderando a vantagem do Sampaio Corrêa na partida de semifinal do segundo turno contra o Moto, a FMF não teria como proceder com uma eventual final de campeonato, por uma simples determinação legal.

Preparação

A diretoria do Cordino não informou qual foi a atividade que o time após o cancelamento da primeira partida da final do segundo turno, que será realizada neste domingo (23), no estádio Leandrão, em Barra dor Corda, mas o Sampaio fez uma atividade, sábado, no CT José Carlos Macieira.

O treino consistiu em uma atividade de movimentações rápida com toque de bola, simulando transições de jogadas durante os jogos.

Em entrevista ao site do clube, o meia Valderrama falou sobre a situação do campeonato e lamentou. “Estávamos prontos para jogar, mas, infelizmente, ocorreu a suspensão da final. Agora é aproveitar para treinar algumas situações, recuperar os jogadores que estão no DM e entrar forte na decisão”, disse.

PROCESSOS PENDENTES NO STJD

– Punição do Sampaio

O Sampaio, que perdeu quatro pontos por relacionar o goleiro Jean irregularmente no jogo contra o Imperatriz, no primeiro turno, recorreu da decisão. O Tricolor tenta recuperar os pontos.

– Anulação de Imperatriz x Cordino

Outra pendência no TJD é sobre o pedido de anulação do jogo Imperatriz 1×2 Cordino, que foi a final do primeiro turno. TJD, inclusive, já determinou a não homologação do resultado e aguarda explicações da FMF sobre a escala de arbitragem da partida. O Cavalo de Aço alega que a Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol do Maranhão (CEAF-MA) teria descumprido o Estatuto do Torcedor ao não realizar sorteio para a arbitragem que trabalhou naquele jogo.

– Vantagem nas semifinais do 2º turno

Outro processo em pauta no pleno do tribunal é o questionamento do Moto sobre a vantagem do Sampaio na semifinal do segundo turno. O Rubro-Negro alega que terminou em primeiro no grupo e por isso jogaria pelo empate para ser finalista. Entretanto, o regulamento prevê que a equipe com o maior número de pontos detenha a vantagem, o que assegurou o Sampaio na decisão após o empate em 2 a 2 com o Moto. (O Estado)