Brasília - O presidente do Senado, José Sarney, recebe Teori Zavascki, ministro do STJ indicado pela presidenta Dilma Rousseff ao Supremo Tribunal Federal (STF)

O ex-presidente da República José Sarney lamentou a morte de Teori Zavascki, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), em um acidente aéreo na tarde desta quinta-feira (19), na cidade de Paraty (RJ). Em nota, Sarney elogiou Zavascki, relembrou alguns momentos de sua carreira jurídica e disse que o Brasil perde um “magistrado brilhante”.

“É com profunda tristeza que recebo a notícia do falecimento do Ministro Teori Zavascki, por quem tinha grande admiração. Era um magistrado sério, correto e brilhante. Prestou um grande serviço à magistratura brasileira com sua experiência, e cultura jurídica. Recordo que o conheci ainda durante o meu governo, quando era juiz federal e foi nomeado para o Tribunal Federal do Rio Grande do Sul. De lá ascendeu ao Superior Tribunal de Justiça onde teve passagem marcante. Lamento enormemente sua morte e associo-me à dor de sua família nesse momento de pesar”, afirmou José Sarney.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki morreu nesta quinta-feira (19), aos 68 anos, em um acidente aéreo. Ele já era viúvo e deixa três filhos. Membro do STF desde 2012, Teori foi o ministro responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na Corte, tratando dos processos dos investigados com foro privilegiado. A morte de Teori foi confirmada pelo filho do magistrado Francisco Zavascki, em uma rede social.

Teori Zavascki nasceu em 1948 na cidade de Faxinal dos Guedes (SC), e é descendente de poloneses e italianos. Aprovado em concurso de juiz federal para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em 1979, ele foi nomeado, mas não tomou posse. Advogado do Banco Central de 1976 até 1989, chegou à magistratura quando foi indicado para a vaga destinada à advocacia no TRF4, onde trabalhou entre 2001 e 2003. De 2003 a 2012, Zavascki foi ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Leave A Reply