Imagem-da-Economist

O Inferno de Dilma Rousseff só começa. Cidadã comum, ela deve se tornar alvo de avalanche de processos e indiciamentos, no âmbito cível (ações populares) e policial (Lava Jato).

Só um cargo de secretária em algum governo estadual a blinda, em parte – e a torna alvo sob tutela de um tribunal de justiça estadual.

Daí a preocupação de seus aliados em evitar a sua inelegibilidade  no Senado.

A propósito, o  potencial primeiro evento internacional da economista Dilma Rousseff, ex-presidente do Brasil, deve ser na Argentina. Ela estuda convite do grupo Mães da Praça de Maio, suas fãs. (Leandro Mazzini – Coluna Alvorada)