marqueteiro-joao-santana-e-escoltado-pela-policia-federal-em-curitiba-pr-1457547230336_615x300

Ao acatar um pedido da defesa e mandar soltar nesta segunda-feira (1º), a publicitária Mônica Moura, o juiz da Lava Jato Sérgio Moro também estabeleceu como condição para estender a decisão a João Santana, marido e sócio de Mônica, o pagamento de fiança de R$ 2,7 milhões.

O juiz da Lava Jato entendeu que a defesa do publicitário deve se manifestar para solicitar a extensão dos benefícios concedidos a sua sócia, para que também deixe a prisão. O casal foi detido em fevereiro deste ano na operação Acarajé, 23ª fase da Lava Jato que mirou os pagamentos da Odebrecht aos marqueteiros de Lula e Dilma no exterior e no Brasil por meio do “departamento de propinas” da empreiteira e de operadores financeiros.

A defesa de Santana que já protocolou ao juiz pedindo a soltura nas mesmas condições de Mônica Moura, que terá que pagar uma fiança dez vezes maior que o marido, de R$ 28,7 milhões, e ficou proibida de participar de campanhas eleitorais no Brasil.