image

Antes de toda grande competição esportiva é normal que fãs, especialistas e principalmente apostadores deem seus chutes sobre os possíveis vencedores.

Nas Olimpíadas do Rio não é diferente. Faltando quatro dias para o início oficial dos Jogos, o banco norte-americano Goldman Sachs divulgou as projeções de medalhas de alguns países para os Jogos.

De acordo com a análise, após a distribuição das mais de 900 medalhas que serão disputadas, o Brasil terá uma melhora de desempenho em relação a Londres 2012, porém ficará aquém do objetivo estipulado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), de terminar entre os dez primeiros colocados do quadro geral de medalhas – para isso, o ‘time Brasil’ precisa conquistar entre 27 e 30 medalhas.

De acordo com o estudo dos economistas do Goldman Sachs, o Brasil conquistará 22 medalhas, sendo cinco ouros, recorde do País e que lhe garantiria o 16º no quadro. A título de comparação, em Londres, há quatro anos, o País deixou a capital inglesa com 17 medalhas, sendo três ouros, cinco pratas e nove bronzes, aparecendo em 22º na classificação geral.

A análise também mostra os possíveis primeiro colocados do Rio 2016, não alterando o resultado final de Londres 2012. Assim, os melhores países seriam: Estados Unidos, China, Grã-Bretanha, Rússia, Coreia do Sul, Alemanha, França, Itália e Hungria.

A Rússia, que teve parte da delegação proibida de vir ao Rio de Janeiro devido aos escândalos de doping, deverá ter uma queda no número de medalhas. Segundo a projeção, o país poderá conquistar dez medalhas de ouro a menos do que em Londres, diminuindo 24 do total final.

No último sábado, a agência de notícias Associated Press também divulgou sua previsão, e ela é bastante otimista para o Brasil. A estimativa é de que o País sede das Olimpíadas conquistará 29 medalhas, sendo 11 de ouro, o que seria o recorde absoluto da nação.

A edição em que o Brasil mais conquistou medalhas de ouro foi em Atenas 2004: cinco. Contudo, a disputa que mais premiou brasileiros foi Londres 2012, somando 17 medalhas. Há algumas semanas, o Comitê Olímpico Brasileiro revelou 12 modalidades que podem trazer bons resultados ao País.